Orgão Oficial

ABCD - Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva - Brazilian Archives of Digestive Surgery

Número: 27.3 - 19 Artigos

Voltar ao Sumário

Artigo Original

Adoção do escore MELD aumentou número de transplantes de fígado

Adoption of MELD score increases the number of liver transplant

Lucas Souto NACIF, Wellington ANDRAUS, Rodrigo Bronze MARTINO, Vinicius Rocha SANTOS, Rafael Soares PINHEIRO, Luciana BP HADDAD, Luiz Carneiro D'ALBUQUERQUE

Resumo

RACIONAL: O transplante de fígado é realizado em grandes centros de transplante em todo o mundo como intervenção terapêutica para pacientes com doenças do fígado em fase terminal. OBJETIVO: Analisar os resultados e incidência de transplante de fígado realizado na Universidade de São Paulo e comparar com a do Estado de São Paulo antes e depois da adoção do Modelo para Doença Hepática Estágio Terminal (MELD). MÉTODO: Avaliação do número de transplantes de fígado antes e depois da adoção do escore MELD. Os valores médios e desvios-padrão foram utilizados para analisar variáveis ??normalmente distribuídas. Os resultados de incidência foram comparados com os do Estado de São Paulo. RESULTADOS: Houve alta prevalência de homens, com predomínio na meia-idade. A principal indicação para o transplante de fígado foi cirrose por hepatite C. A média e as taxas de sobrevivência mediana e sobrevida global em dez e cinco anos, foram semelhantes entre os grupos (p>0,05). A pontuação MELD aumentou ao longo do período de estudo para os pacientes que se submeteram ao transplante de fígado (p>0,05). Houve aumento do número de transplantes de fígado após a adoção do escore MELD na Universidade de São Paulo e no Estado de São Paulo (p<0,001). CONCLUSÃO: A adoção da pontuação MELD levou ao aumento do número de transplantes de fígado realizados em São Paulo.

Palavras-chave: Transplante, Doença, Cirurgia Geral

O transplante de fígado é realizado em grandes centros de transplante em todo o mundo como intervenção terapêutica para pacientes com doenças do fígado em fase terminal.

OBJETIVO:

Analisar os resultados e incidência de transplante de fígado realizado na Universidade de São Paulo e comparar com a do Estado de São Paulo antes e depois da adoção do Modelo para Doença Hepática Estágio Terminal (MELD).

MÉTODO:

Avaliação do número de transplantes de fígado antes e depois da adoção do escore MELD. Os valores médios e desvios-padrão foram utilizados para analisar variáveis ??normalmente distribuídas. Os resultados de incidência foram comparados com os do Estado de São Paulo.

RESULTADOS:

Houve alta prevalência de homens, com predomínio na meia-idade. A principal indicação para o transplante de fígado foi cirrose por hepatite C. A média e as taxas de sobrevivência mediana e sobrevida global em dez e cinco anos, foram semelhantes entre os grupos (p>0,05). A pontuação MELD aumentou ao longo do período de estudo para os pacientes que se submeteram ao transplante de fígado (p>0,05). Houve aumento do número de transplantes de fígado após a adoção do escore MELD na Universidade de São Paulo e no Estado de São Paulo (p<0,001).

CONCLUSÃO:

A adoção da pontuação MELD levou ao aumento do número de transplantes de fígado realizados em São Paulo.Palavras-Chave: Transplante; Doença; Cirurgia Geral

INTRODUÇÃO

A doença hepática é responsável por grande número de mortes em todo o mundo e é uma das principais causas de hospitalização. Em estágios avançados o transplante de fígado (LT) é a única intervenção eficaz que pode aumentar a sobrevida3 , 9.

O número de pacientes com disfunção renal na lista de espera para transplante de fígado aumentou desde a adoção do Modelo para Doença Hepática Estágio Terminal (MELD) em 2002 para a alocação de enxertos de fígado nos EUA2 , 7 , 8.

Isto é particularmente importante quando se considera os potenciais fatores demográficos, étnicos e socioeconômicos, o tamanho da lista de espera para o transplante de fígado, e o escore médio do MELD no momento da alocação do órgão. Além disso, as diferentes políticas utilizadas para encaminhar os pacientes para procedimentos de transplante combinado pode alterar o prognóstico e resultados em longo prazo. Em 2012, a pontuação média MELD em pacientes transplantados no departamento foi 31,02.

O objetivo deste estudo foi avaliar a incidência e os resultados dos transplantes de fígado realizados em um único centro sulamericano antes e após a adoção do escore MELD. Além disso, foram comparados os resultados institucionais com aqueles de uma grande área vizinha que inclui o Estado de São Paulo.

MÉTODOS

Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Experimentação Humana da instituição.

Dados clínicos de receptores adultos de LT entre janeiro de 2002 e julho de 2012 na Divisão de Transplante de Fígado e Aparelho Digestivo do Departamento de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Brasil, foram revisados ??retrospectivamente. Após a exclusão dos que receberam LT dividido, re-transplante, ou doador de fígado vivo, foram estudados 31 pacientes com transplante combinado fígado e rim (CLKT) e 592 pacientes com LT sozinho (LTA). Especificamente foram analisadas as variáveis ??que incluíram sexo, idade, indicação de transplante, MELD pontuação, a incidência de LT sozinho e CLKT baseada em pontuação MELD e taxa de sobrevivência (sobrevivência total) ao longo deste período de estudo de dez e cinco anos.

Foram coletados dados da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo no site oficial do governo (www.saude.gov.sp.br/transplante), onde 3.961 receptores adultos de LT não selecionados foram registrados durante o mesmo período de estudo em uma grande área vizinha (Estado de São Paulo) que inclui esta e mais de 15 outras instituições.

A pontuação MELD foi utilizada para o sistema de alocação de LT no Brasil desde julho de 2006, substituindo o sistema anterior de alocação cronológica. Por isso, foram comparados os resultados destes dois grupos de tratamento: pré-MELD - de janeiro de 2002 a julho de 2006 -, e pós-MELD - de julho de 2006 a julho de 2012.

Quase todos os procedimentos cirúrgicos foram realizados utilizando a técnica piggyback. As soluções de preservação habitualmente utilizadas foram Universidade de Wisconsin e Custodiol. Enquanto o regime de imunossupressão foi personalizado para cada paciente, todos os pacientes receberam um bolus de esteróides durante a fase anepática; administração de esteróides foi reduzida posteriormente com a cessação completa três a seis meses após o transplante; inibidor da calcineurina (tacrolimus ou ciclosporina) foi administrado a todos os doentes; micofenolato mofetil foi dado a pacientes com CLKT ou disfunção renal.

As análises estatísticas foram realizadas utilizando o programa estatístico SPSS 20.0. Análises de sobrevida geral foram realizadas pelo método de Kaplan-Meier (Log Rank; Mantel-Cox). Os valores médios e medianos e desvios-padrão foram usados ??para examinar variáveis ??normalmente distribuídas. O teste t de Student para dados não pareado foi utilizado para comparações. O teste do qui-quadrado foi utilizado para comparar as frequências das modalidades de LT. Os valores de p inferiores a 0,05 foram considerados estatisticamente significativos.

RESULTADOS

Perfil clínico

Neste estudo, foram analisados ??todos os LT realizados no centro ao longo de dez anos. Observou-se alta prevalência de homens no que se refere às ambas modalidades de transplante. A idade média também foi similar em ambos os grupos de tratamento, com predominância de homens de meia-idade.

Em pacientes que se submeteram CLKT, a pontuação media MELD foi de 26,2, variando de 16 a 37. Para o CLKT, o tempo de isquemia quente e total do fígado variaram, respectivamente, de 35 a 90 min (média±DP 48,29±11,89) e 4,5-13,7 h (7,76±2,30). A indicação principal para o transplante CLKT foi cirrose por hepatite C (25,8%), seguido por cirrose alcoólica (22,5%), cirrose por hepatite B (16,1%), cirrose criptogénica (12,9%), e hepatite auto-imune (9,7%). Cirrose combinada de VHB e VHC ocorreu em um caso (3,22%), e outras causas, tais como colangite esclerosante primária e doença de Caroli ocorreram em três casos (9,7%).

Sobrevida dos pacientes

Índices da média e mediana de sobrevivência e sobrevida global ao longo dos dez e cinco anos do estudo são apresentados na Tabela 1. As taxas de sobrevida global de pacientes nos grupos CLKT e LT sozinho foram de aproximadamente 68% e 75%, respectivamente. Sobrevivência no curto e longo prazo foi semelhante para os dois tipos de transplante, embora tenha sido observado decréscimo na de longo prazo do grupo CLKT (Tabela 1). Não houve diferenças significativas na sobrevivência entre as modalidades de transplante.

Tabela 1 Tempo de sobrevida médio e a mediana (dez anos) para o transplante combinado fígado e rim, transplante de fígado sozinho e a taxa de sobrevida em um e cinco anos 

 

Copyright 2018 - Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva